ESPÍRITO DO NATAL

6 11 2009

arbolf

“Tudo o que fizestes a um destes pequeninos, a mim o fizestes.”

Personagens: Dona Margarida – mãe
Doroti – filha
Jaci – filha
Deise, Estela e Edite – amigas
O Espírito do Natal – uma moça

Cenário: Numa sala, uma mesa com algumas cadeiras. Sobre a mesa estão alguns presentes e papéis para embrulho. Doroti e Jaci estão na sala, ornamentando a árvore de Natal.

D.Margarida: (Entrando) Hummm… mais presentes! Como está linda a nossa árvore de Natal!… Que beleza ficará à noite, quando o brilho das luzes se refletir nos muitos enfeites vermelhos, dourados e prateados! Vamos começar logo a embrulhar os presentes e fazer os planos para a festa desta noite.

Doroti: Já aprontei a caixa para a vovó. Veja como ficou bonito o laço em cima, formando uma rosa!

D.Margarida: Está mesmo lindo! Como minha filha é caprichosa. A vovó vai gostar! Esse é o presente que você vai oferecer, e olhe este vestido, ela vai gostar também.

Jaci: (Arrumando os papéis) Aqui estão os papéis bonitos para embrulhar os presentes, não podemos esquecer os parentes mais íntimos.

D.Margarida: Os presentes que darei a vocês serão, como sempre, uma surpresa. Penso que acertei, irão gostar por certo.

Jaci: Então é só hoje a noite que poderemos saber o que é?

D.Margarida: Sim, só na hora da distribuição. (As três, enquanto conversam, cortam os papéis e vão embrulhando).

Doroti: Estou curiosa mesmo… Não vejo a hora de ver o papai com as vestimentas de Papai Noel, chamando-nos. A vovó, a titia e as primas também festejarão conosco e isto é ótimo.

Jaci: Este corte de fazenda é para a tia Maria. (Começa a embrulhá-lo). Este outro é para a prima Luci.

D.Margarida: Continuem fazendo os pacotes enquanto vou fazer outras coisas. (Sai)

Doroti: Olha que camisa fina! Com certeza é para papai. Vamos deixar que a mamãe mesma faça esse pacote, porque para o papai ela tem a sua maneira toda especial.

Jaci: E todos estes vidros de perfume. Alguns mais finos, outros mais modestos…

Doroti: Quando mamãe chegar ela indicará as pessoas a quem dar.

Jaci: Vou separá-los. Os melhores para os amigos mais distintos, os outros para os mais humildes.

D. Margarida: (Entra trazendo roupas usadas)

Doroti: Que é isso? Entre tanta coisa bonita, misturar essas roupas velhas e desbotadas?

D.Margarida: Isto é para dar para alguns parentes pobres (tomando as peças de roupa). Esta saia desbotada é para a tia Lúcia; esta outra é para a tia Alzira, e estas aqui para as priminhas, etc.

Doroti: (Examinando as peças e rindo) Ainda bem que os pobres aceitam tudo, mesmo no dia de Natal!

D.Margarida: Vou mandar muita roupa, vou procurar outras mais. O pastor no último sermão falou bastante sobre o assunto de deixar nossa luz brilhar, ajudando os outros. Penso que fazendo assim…

Jaci: (Interrompendo) Penso, mamãe, que no Natal a luz devia brilhar bem diferente! A senhora sabe melhor do que eu, que os pobres não só necessitam de roupas, mas também de um pouco do nosso amor!

D.Margarida: Verdade, eles não sabem que Jesus é a luz que ilumina a todo homem que vem ao mundo. Vou escrever também algumas cartas com passagens bíblicas e colocá-las juntamente com as roupas.

Jaci: Vou buscar uma caixa grande onde colocaremos as roupas.

Doroti: Boa idéia! Assim não precisaremos gastar esses papéis bonitos. Estou contente que a senhora está mandando este casaco. Eu nunca gostei dele, nem quando era novo.
Continue lendo »








%d blogueiros gostam disto: