Sermão de Natal

11 12 2009

Autor: Denis Cruz *

Conta-se a história de um homem que viajava com sua esposa grávida, até chegar numa pequena cidade.
Ao fim da tarde, cansados da viagem, procuravam um lugar para repousarem e, possivelmente, para que a jovem esposa tivesse seu filho.
Bateram de porta em porta e tiveram várias respostas:

Aqui não tem lugar para vocês:

Meu trabalho já ocupou todos os lugares.

Meu orgulho já ocupou todos os espaços.

Faltou perdão, não temos mais como hospedar ninguém.

Minha família está por aqui, não tem lugar para mais ninguém.

Sou um estudioso, um intelectual, não tenho tempo para recepcionar vocês.

Tenho medo de receber alguém na minha casa.

Minhas tradições, a educação que eu tive não permite receber mais ninguém.

– Eu não estou preparado para receber ninguém.


O casal continuou a busca, até encontrar uma pessoa que disse:

– Só tenho vaga no pior lugar da minha casa. O mais sujo, o mais desorganizado, o mais fedido, o mais barulhento. Se quiserem, é o único lugar que posso acomodá-los.

Este homem não queria ser incomodado com um bebê. Não queria mudar nada. Ofereceu para o casal o que tinha de pior. Mas o casal aceitou e foi até a estrebaria, indicada pelo homem.

Ali, em meio a animais, a jovem mãe deu a luz ao seu bebê. O homem arrumou um pouco o lugar, ajeitou uma manjedoura e colocou o filho. Os animais olhavam curiosos para o recém chegado e até o dono da manjedoura veio olhar o bebê e ficou encantado.

A casa do homem ainda estava cheia de outras coisas, e não tinha lugar para o bebê. Então ele começou a arrumar um pouco a estrebaria. Arrumou uma lamparina boa, ajudou o pai a varrer o chão e retirou alguns animais mais sujos (no cavalo, até deu um banho).

Conforme os dias foram se passando, o lugar ficou mais limpo, mais arrumado. Nem parecia uma cocheira de animais.
O dono do lugar até se assustou quando recebeu a visita de três homens que diziam serem reis do Oriente e vieram visitar o rei que tinha nascido ali naquele lugar.

– Um rei? – Perguntou o homem – Como isso é possível?

Sim, era um rei. O rei dos reis tinha nascido naquele lugar. O homem foi até a manjedoura. Tirou o chapéu da cabeça e olhou para a criança.

– Um rei em minha casa – ele sorriu quando o bebê também sorriu. – Eu arrumei o pior lugar da minha casa e, possivelmente, esse  é o pior lugar de toda a cidade, para um rei nascer.

– Mas ele nasceu – disse o pai chegando atrás daquele homem. – É isto que importa. Você deu um lugar para que ele nascesse assim, pequenino, indefeso. Agora, toda a obra de restauração é dEle. O Nosso Príncipe da paz.

…………….

Vamos ler Lucas 8: 5-8

Eis que o semeador saiu a semear. E, ao semear, uma parte caiu à beira do caminho; foi pisada, e as aves do céu a comeram.

Outra caiu sobre a pedra; e, tendo crescido, secou por falta de umidade. Outra caiu no meio dos espinhos; e estes, ao crescerem com ela, a sufocaram. Outra, afinal, caiu em boa terra; cresceu e produziu a cento por um. Dizendo isto, clamou: Quem tem ouvidos para ouvir, ouça.

  • Quando ouvimos falar de Jesus pela primeira vez, é como se uma semente fosse jogada em nossos corações.
  • Como é nosso coração? Do que ele é feito?
  • Alguns de nós talvez tenham dado desculpas; tenham lutado com seus preconceitos. Ou, quando aceitou, colocou Jesus em algum lugar não muito bonito de nossa alma. Uma estrebaria suja.
  • Eu gostaria de viajar com você para quando conheceu Jesus. Como foram aqueles dias? Como você o recebeu? O que era Deus para você? Como foi seu primeiro encontro com essa pequena semente?
  • Ela germinou? Cresceu? Deu frutos? É importante que uma árvore dê frutos.
  • É gostoso pensar em como começamos nosso relacionamento com Jesus. Pense, também em como foi que você conheceu seu marido, sua esposa, seu amado sua amada?
  • Eu fui num retiro de carnaval para tentar pedir minha esposa em namoro. Quebrei a cara.
  • Mas houve um momento do sim (depois do retiro). Houve um início. Começamos de forma tímida, com receio de ceder espaço em nossos corações. Lembro com detalhes de nossos primeiros momentos como namorados. O primeiro andar de mãos dadas, o primeiro beijo, o primeiro toque nos cabelos de minha namorada.
  • Cada casal aqui deve lembrar desses momentos especiais e ter sua própria história.
  • Como casal, seja casados ou namorados, eu e minha esposa passamos momentos bons e momentos difíceis. Lutamos e vencemos e perdemos juntos. Houve momentos em que eu queria deixá-la e outros que ela queria me deixar. Mas creio que algo especial, com o apoio de Deus, nos ajudou a ficarmos juntos: OLHAR PARA TRAS E VER NOSSA HISTÓRIA.
  • No cristianismo também ocorre suas batalhas, as vitórias, e as derrotas. Há momentos de dificuldades, de desespero e de desânimo; de vontade de deixar tudo. E, muitas vezes, esquecemos de olhar para trás e observarmos como tudo começou; quando esse amor nasceu em nossas vidas e se transformou em algo tão grandioso.
  • Mesmo nas batalhas mais difíceis, mesmo nos momentos mais duros, não precisamos esquecer que uma semente de amor foi plantada em nosso coração. Nasceu, germinou, cresceu.
  • Como uma criança que nasce numa manjedoura escura que vai sendo limpa e clareada, assim é que Jesus nasce em nossos corações. Como uma criança que trás nova alegria e esperança para a vida dos pais, assim é Jesus em nossas vidas.
  • Olhe para trás. Veja sua história com Deus. Olhe os momentos de amor, de resgate e de milagres que ele operou em sua vida; olhe as provas de amor que ele te deu. Assim você entenderá o motivo de adorá-lo; de chamá-lo de Rei dos Reis.

…………….

  • E você que ainda reluta para aceitar esse Jesus de maneira integral? Ou, mesmo aceitando, ainda o deixa em algum canto escuro da sua vida, escondendo-o de todos. Qual a sua desculpa? Por que não deixa Jesus crescer?
  • Ele quer operar milagres em sua vida; quer transformá-lo com Sua Verdade. Diga sim. Deixe Cristo entrar. Prepare o melhor lugar para Ele ou O traga daquele lugar escuro para o centro da sua vontade.
  • Há 2.000 anos, Jesus nasceu e operou maravilhas. Hoje ele quer nascer e operar uma grande transformação em Seu coração e gerar frutos para toda a eternidade. Basta dizer sim.

Retirado de: www.deniscruz.com.br

*Denis Cruz é autor do livro Além da Magia, publicado pela CPB”.


Ações

Information

5 responses

12 12 2009
Sermão de Natal | Perto Está - Portal Adventista

[…] Fonte: https://cdja.wordpress.com/2009/12/11/sermao-de-natal/ AKPC_IDS += "1496,";Popularity: unranked [?] Comentários [0] Print This PostDigg it!Facebook […]

22 12 2009
Erika de Azevedo

Muito lindo esse sermão… muito impactante! =)

10 12 2010
ariana melo frota

Parabéns este sermão nos faz refletir sobre nossas ações e atitude.
E lembramos que devemos ser dependentes de Deus.

25 10 2011
25 12 2011
thamyres

nossa q Deus continue te abençoando ricamente.sua meditaçao realmente foi inspirada por Deus…

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s




%d blogueiros gostam disto: