Materiais Para a Semana Santa 2012

17 02 2012

Já estão disponíveis os materiais, e o Sermonário para o Evangelismo da Semana Santa que será realizada na primeira Semana do mês de Abril

http://www.ministeriopessoal.org/semana-santa/947/semana-santa-2012-materiais/ 





Dia do Jovem Adventista 2010 Cartaz + Sermão

14 09 2010

SERMÃO – DIA DO JOVEM ADVENTISTA

O chamado para ser uma “Geração de Esperança”

Ministério Jovem – Divisão Sul-Americana

Texto: Lucas 5:1-11

Propósito: Que todos os jovens, em sua idade mais vigorosa, aceitem o chamado que Jesus faz à nossa Geração, o chamado para ser utilizados por Ele para levar Esperança aos homens.

Leia o resto deste post »





Semana de Oração Jovem 2010

16 05 2010

O tema deste ano será: ”Eles foram a Geração Esperança, e você!”

Desde criança todos nós temos os nossos heróis, sejam eles bíblicos ou de um mundo imaginário. É claro que os personagens bíblicos valem muito mais, e certamente algum deles marcou a nossa vida quando éramos juvenis.

Eu sempre admirei a coragem e a valentia de Davi, e também sempre queria ter a força física de Sansão. E você?

Pois então, pesando em desafiar os nossos jovens na América do Sul, a buscarem lindos exemplos dignos de imitação, é que nós estamos colocando em suas mãos oito extraordinários sermões feitos com muito amor e carinho para você possa desafiar os jovens da sua igreja, a ser a geração esperança da atualidade. Se os nossos jovens olharem para a Bíblia, terão uma constelação de heróis de verdade. Basta seguir os bons exemplos!

Os oito sermões que você tem em suas mãos foram preparados carinhosamente pelos líderes de jovens das sete Uniões brasileiras, são eles: Aquino Bastos (UNB); Areli Barbosa (USB); Donato Azevedo (UNoB); Ronaldo Arco (UCB); Ivay Araújo (UEB); Nelson Milanelli (UCOB) Elmar Borges (UNeB) e Otimar Gonçalves (DSA).

Cada personagem bíblico foi escolhido pelo autor do sermão. Todos estamos certos de que eles foram a geração esperança da sua época… E você, está disposto a ser a geração esperança do nosso tempo? Aproveite o ‘clima’ de esperança e reúna a sua turma e vá buscar aqueles jovens que já fizeram parte da geração esperança, vá agora mesmo… coloque o ‘exercito da esperança’ nas ruas outra vez…

Um abraço cheio de esperança no seu coração,

Pr. Otimar Gonçalves

Ministério Jovem – Divisão Sul-Americana

Baixar





Semana de Oração Jovem 2010 – O Poder da Geração Esperança

16 05 2010

Abertura
Título: O Poder da Geração Esperança

D A N I E L


Um Modelo Atual Para a Geração Esperança

“Daniel… três vezes por dia se punha de joelhos, e orava, dava graças, diante do seu Deus, como costumava fazer.” (Daniel 6:10 ú.p).

I. Vamos conhecer Daniel – Um símbolo para a geração esperança. A. Daniel era um jovem de linhagem real, era de origem nobre (Dan 1:3).

1. Daniel tinha entorno de dezesseis anos quando enfrentou os maiores desafios de sua vida. Era tão-somente um adolescente. O que será que fez a diferença na vida do jovem Daniel?

2. Daniel foi levado cativo para Babilônia no ano 586 a.C por Nabucodonosor rei da Babilônia. (Dan 1:1).
2.1. Às vezes o justo paga pelo pecador. Todavia, as provações na nossa vida têm sempre um propósito espiritual, as crises sempre revelam o nosso caráter e mostram de que lado nós estamos na grande batalha.

3. Daniel possivelmente tivesse uma boa aparência, tinha lindos dotes de sabedoria e era versado em ciências. Em síntese Daniel era um adolescente acima da média, era de extrema competência intelectual e espiritual.
3.1. Daniel era o tipo de jovem que toda garota sonhava em namorá-lo.
Daniel era o genro perfeito. Daniel nasceu para o sucesso. Entretanto, o sucesso vem sempre acompanhado de um alto preço. Você está disposto a pagar o preço da vitória?
4. Até no nome Daniel refletia os ideais de Deus. O nome Daniel significa: ‘Deus é meu Juiz’. Eu creio que Daniel recebera dos seus pais uma esmerada educação, pois ele ‘era um príncipe de Judá’. A Ciência do Bom Viver. Pág. 148.

B. Será que Daniel serve de modelo para a nossa juventude na atualidade?
Eu estou seguro de que você precisa de modelos de vida!
Nós somos reflexo daquilo que contemplamos diariamente.

1. Tinha Daniel as mesmas tentações e os mesmos desafios que os nossos jovens têm hoje em dia? Daniel viveu na própria pele as amarguras do cativeiro babilônico, ele poderia ter perdido todas as suas referências morais e espirituais.

2. “Daniel não era mais que um jovem ao ser levado cativo para a Babilônia. Tinha cerca de quinze ou dezesseis anos de idade, pois é chamado menino, o que significa que estava em sua juventude.” O Cristo Triunfante – 2002 – MM, pág. 172.

3. Deus continua chamando “Danieis”. Jovens destemidos e leais para a missão de ser um agente da esperança ou uma embaixatriz das boas novas de salvação.

4. Daniel foi um dos jovens mais influentes do Antigo Testamento. Foi a pessoa mais poderosa dos impérios: Babilônico e Medo-Persa.

5. Qual era o segredo de Daniel? Onde estava a sua fonte de poder? Como ele pôde superar tantas crises de proporções enormes? Inclusive com o risco de vida em vários momentos.

6. Você está disposto a morrer por Jesus e Sua mensagem?

II. O Segredo de Daniel (Dan 6:10) – Será o mesmo da geração esperança!
Leia o resto deste post »





Semana de Oração Jovem 2010 – O Construtor da Esperança

16 05 2010

Domingo
Título: O Construtor da Esperança

N E E M I A S
Neemias 1:1-11

Introdução:

I. Onde você tem colocado seu coração?
• Como que você gosta de sonhar?
• Seus pensamentos

1. Neemias estava no exílio, em uma boa condição mas seu coração estava em Jerusalém.

A. Temos que ter nossos pensamentos, planos e sonhos ligados ao sucesso e crescimento da igreja.

B. Devemos fazer as perguntas: Ne. 1:2 “lhes perguntei”
• Como vai?
• Como está indo?
• Como estamos?
• Faça a pergunta e espere a resposta.

C. Pensamento de George Bernard Shaw: “O pior pecado que podemos cometer contra outros seres humanos não é odiá-los, mas sim ser indiferentes a eles: essa é a essência da desumanidade.”

D. A menina dos olhos de Deus é sua igreja: “Testifico aos meus irmãos e irmãs que a Igreja de Cristo, por débil e defeituosa que seja, é o único objeto sobre a Terra a que Ele confere Sua suprema atenção.”TM, 15.

• Pense no que Deus pensa.
• Sonhe com o que Deus sonha.
• Lute pelo que Deus luta.
• Ame o que Deus ama.
• Dê atenção ao que Deus dá atenção.

E. Num dia qualquer !

• Mês Quisleu – meados novembro ou dezembro de 444 AC.
• Um dia pra mudar a historia.
• Foi num dia qualquer que:
• Foi num dia qualquer que Moisés saiu como pastor de ovelhas e voltou com um chamado para o Egito.
• Foi num dia qualquer que Davi saiu para o trabalho do curral e voltou com o caminho aberto para o trono de Israel.
• Num dia como qualquer outro que Tiago, André, Pedro e João estavam consertando suas redes e Jesus chamou-os para serem pescadores de homens.
• Nunca sabemos o que Deus tem reservado para nós.
• Numa noite, numa igreja, num acampamento, num congresso, numa reunião de pequenos grupos, pode vir um chamado.
• Deus chamou Neemias porque ele via os buracos de Jerusalém.
• Deus chama pessoas que conseguem ver o que precisa ser visto.
• Seja um “Construtor da Esperança”

II. Ver o que Deus vê. Ne. 1:6 “Estejam, pois, atentos os teus ouvidos, e os teus olhos, abertos”.

A. Neemias conseguia ver o que Deus via. Ele conseguia ver o que Deus queria que fosse visto. Deus escolheu quem quis.

• Isaque, não Ismael. Viu o altar sem cordeiro.
• Jacó, não Esaú. Lutou com Deus.
• Davi, não Jonatas – e Jonatas reconheceu isto – 1 Sam 23:17. Viu Golias.
• Salomão, não Adonias. Pediu sabedoria.
• Pedro, Tiago e João, não os outros 9 discípulos. Viram Jesus transfigurado.

B. O que Deus vê agora??

• Existe muita coisa que eu estou enxergando, mas o que Deus vê agora?
• O que Deus está vendo nos relacionamentos dos Jovens?
• O que Deus está vendo nos casamentos dos membros da igreja?
• O que Deus está vendo na igreja que eu não consigo ver?
• Será que tem algum jovem em ruína, algum casamento em desgraça ou alguma igreja em desprezo?
• Será que alguém está conseguindo enxergar o que Deus está vendo?

C. Poder para fazer uma transformação.
• Deus vê os casamentos em ruína, jovens em ruína.
• Deus vê as portas de um casamento arruinado.
• Deus vê gente vivendo em miséria espiritual.
• “Deus dá poder para quem consegue ver as necessidades do povo!!!”

D. Poder para algo que é necessário.
• Muros precisam ser reconstruídos.
• Deus precisa renovar os casamentos.
• Deus precisa renovar a juventude.
• Deus precisa renovar o lar e restaurar a fidelidade.
• Ele quer dar Poder para esta obra de renovação.

“Quando alguém vê claramente o dever, não tome a liberdade de ir a Deus com oração para que possa ser dispensado de cumpri-lo. Antes, deve com espírito humilde e submisso, rogar força e sabedoria divina para satisfazer as exigências desse dever.” PP, 441

III. Chorar pelo que Deus chora.

Neemias 1:4 “Tendo ouvido estas palavras, chorei.”

A. As emoções fazem parte das pessoas, elas sempre nos alcançam.

B. Pelo que você chora?
Leia o resto deste post »





Semana de Oração Jovem 2010 – O Sonhador da Esperança

16 05 2010

Segunda

Título: O Sonhador da Esperança

J O S É
INTRODUCÃO: (GENESIS 37:1-3)

Aqui temos uma das histórias bíblicas mais queridas pelos jovens cristãos. O que levou este jovem, mesmo distante de seus parentes mais próximos, a mostrar inteireza de caráter, em uma terra onde ninguém o conhecia? Onde estava o segredo de suas sucessivas vitórias contra o preconceito, o desprezo, a vingança e a injustiça de seus irmãos? O que diferenciava José entre os demais?

José, como qualquer pessoa, teve todas as chances para se tornar um fracassado: a traição de seus irmãos, seu seqüestro e sua escravidão, o assédio de uma linda e rica mulher, sua estadia em uma prisão. Contudo, ele preferiu escolher uma direção contrária, um caminho onde a fidelidade a Deus recompensava todos os sofrimentos e tragédias. Por isso, José se tornou grande e vencedor em cada batalha espiritual!

I. JOSÉ – O FILHO DA ESPERANÇA

A. Ele era filho da velhice,
B. Ele era filho da mulher amada,
C. Ele era um filho obediente que seguia as orientações de Deus.

I. Seu pai fez para ele uma túnica talar de mangas compridas como símbolo de sua proeminência diante de seus irmãos.

II. PROEMINENTE POR CAUSA DA ESPERANÇA – Gênesis 37:3

A. Por que Jacó vestiu José diferente?

I. Era diferente de seus irmãos no que diz respeito as coisas espirituais;
II. Seus irmãos viviam uma vida longe de Deus…
III. José permaneceu puro em meio a um mundo impuro.

B. Sua vida de consagração o diferenciava da vida desregrada em que viviam seus irmãos;

I. Talvez José fosse diferenciado por que trazia más notícias de seus irmãos para seu pai. (Gen. 37:2 ú.p);
II. Suas músicas eram diferentes daquelas que escutavam e cantavam seus irmãos;
III. Sua maneira de falar também era diferente;
IV. Sua maneira de namorar, com jovens de sua fé, era uma reprovação da vida de depravação em que viviam seus irmãos.

C. Hoje, também Deus nos chama para uma vida de consagração.
I. Mesmo em meio as perseguições dos irmãos de José… havia zombarias e gracejos…
II. Quando “todos” estão escutando músicas mundanas, assistindo filmes nos cinemas, usando qualquer tipo de roupa que impõe a moda sensual… José era fiel!
III. Quando surgirem os convites para ir à discoteca, usar drogas, e sexo livre… José era fiel a Deus.
IV. Você é livre para fazer a escolha de viver na tentação ou em uma vida de consagração assim como José de Canaã.

D. A consagração ou a proeminência é o viver com Cristo, depende de uma entrega diária de seus gostos, desejos e anseios nas Mãos de Jesus.

III. CONFIANCA – NA MIRA DA ESPERANÇA (GEN.39:1-4).

A. José foi vendido, mas não se vendeu aos prazeres egípcios.

I. Seus irmãos o venderam para os Ismaelitas que por sua vez o venderam como escravo para o Egito.
II. Aqui temos uma lição tremenda: José foi vendido, foi ridicularizado por sua fé, por sua firmeza a favor dos princípios que ele aprendera de seu pai, mas…
III. Não vendeu estes princípios por cinco, quinze ou trinta minutos de prazer…

B. Potifar ao ver José, viu nele, mesmo seminu sem camisa, um ar de santidade que cobria sua nudez física. (naquele tempo os escravos eram apresentados com pouca roupa, para que os possíveis compradores vissem o porte físico do escravo), pôs nele uma roupa de mordomo para cuidar de sua casa.

1. Potifar confiou em José que entregou tudo em suas mãos exceto sua mulher.
Leia o resto deste post »





Semana de Oração Jovem 2010 – No Caminho da Esperança

16 05 2010

Terça

Título: No Caminho da Esperança

C L E Ó P A S


“Naquele mesmo dia, dois deles estavam de caminho para uma aldeia chamada Emaús, distante de Jerusálem sessenta estádios”. Lucas 24:13.

I. Em meio a decepção, Jesus Cristo é a Esperança.

A. Não estamos sozinhos na empoeirada estrada da vida (Luc. 24:15).

1. A festa havia tido um fim amargo. Caía a tarde de Domingo. Cansados e calados, dois viajantes voltavam para casa. Entre os fragmentos de seu diálogo, entrecortados por frases inacabadas, suspiros e silêncios, afloravam os golpes da realidade de um acontecimento insuportável.

2. Cléopas e seu amigo não podiam apartar de suas mentes, a caminho de Emaús, a morte brutal de seu querido Mestre, na tarde de Sexta-Feira. Suas últimas palavras, Sua prisão, Sua condenação, Sua tortura. E aquele fim humilhante na Cruz.

3. Mais dilacerante que indignação pela morte de um inocente, mais do que a dor da perda de um ente querido, mais do que o temor de serem também julgados, era a dor de haver perdido a fé e a esperança em mais um messias.

4. Tudo que havia dado sentido as suas vidas estava sepultado em baixo da laje de uma tumba em um pequeno cemitério (pelo menos assim eles pensavam).

5. Aquele final, tão infame tão absurdo, sem resistência e nem glória, era incompreensível. Que o enviado de Deus fosse humilde, compreensivo com as crianças e as mulheres, amigo dos pobres e amável com os seus inimigos; mesmo a duras penas dava para se aceitar.

6. Mas, que o libertador de Israel não fora capaz de liberta a si mesmo, que o Salvador nada fizera para salvar-se, que o Messias prometido havia sido assassinado no monte rodeado dos mais abjetos criminosos, que o Rei esperado para resgatar o seu povo do jugo do inimigo houvera sido executado pelos romanos, era demasiado escandaloso para se aceitar.

7. Se Deus existia, Se Deus se importava com Israel, era impossível que houvesse consentido semelhante crueldade com o Seu filho, Jesus de Nazaré. Sem dúvida tudo não passara de um grande engano. Tudo havia acabado agora voltavam para sua realidade sem futuro. Tudo estava vazio como antes.

B. A Cena destes dois discípulos nos é tremendamente familiar.

1. A cena de dois desolados discípulos caminhando entristecidos por uma longa estrada não nos parece familiar? Quantas vezes nas empoeiradas estradas da vida as circunstâncias nos impelem a acreditar que estamos abandonados, como “ovelhas que não têm pastor”?

2. Quantas vezes as nossas mais firmes esperanças parecem desvanecer ante os infortúnios e tragédias do cotidiano? Contudo, assim como tão certo Jesus caminhava lado a lado com os confusos discípulos, Ele nunca deixou de estender seus braços para aliviar nossos fardos nos momentos mais difíceis de nossa vida.

3. Ilustração: Durante a segunda Guerra Mundial, Eric Erickson se converteu em um “falso traidor”. Devido as suas relações comerciais com a industria alemã de petróleo, o comerciante sueco havia sido recrutado pelos aliados para espiar a máquina de guerra de Hitler. Ninguém sabia disto em seu país, e nem devia saber, exceto sua esposa; todo mundo deveria crer que ele era nazista, sua vida dependia disto. Certa vez em um estaurante em Estocolmo, um amigo judeu se aproximou da mesa onde estava Erickson. O falso traidor imediatamente o repreendeu diante de todos os outros fregueses.

“Estou cansado de dizer-lhe que deixe de molestar-me com as sua repugnantes proposições de negócios judeu – exclamou Erickson – eu não faço negócio com os judeus. Sendo assim retire-se daqui imediatamente”. No dia seguinte Erickson recebeu uma carta de seu amigo onde ele dizia que não podia crer que Erickson sentia realmente aquilo que ele dissera para ele, ele afirmava que acreditava que Erickson só podia ter tido um “propósito especial”, e que “se algum dia pudesse ajudar em algo” ele gostaria de ser informado. Erickson destruiu imediatamente o papel e continuou seu trabalho de espionagem.

4. Não é parecido com isto que O Nosso Senhor espera de nós outros? Não tem revelado Nosso Pai celestial o suficiente quanto ao seu caráter, seus motivos e seu amor, para que o seu povo o ame e nEle confie, não importa quais tenham sido as circunstâncias? Não tem Deus procurado pelo amor de seus seres jovens filhos durante seis mil anos?

5. Meu querido jovem, as palavras de Jesus continuam tendo a mesma importância para nós: “…O que eu faço não sabes agora, compreendêlo-ás depois.” Jo. 13:07. Contudo, a viagem continua, e dela podemos extrair três grandes lições:

(1) Nós não estamos sozinhos, (2) Precisamos clamar pela contínua presença de Jesus e (3) O nosso coração deve arder exclusivamente pelas coisas divinas.

II. A maior alegria de Deus é estar em nossa companhia.

A. Jesus sempre buscou nossa companhia… (V. 28,29).

1. Ellen G. White faz um interessante comentário sobre este precioso pedido: “Houvessem os discípulos deixado de insistir no convite, e não teriam ficado sabendo que seu companheiro de viagem era o Senhor ressuscitado. Cristo nunca força a Sua companhia junto de ninguém. Interessa-se pelos que dEle necessitam. Com prazer penetra no mais modesto lar, e anima
o mais humilde coração.” DTN, P.800.
Leia o resto deste post »








%d blogueiros gostam disto: