FLECHADAS DO CUPIDO

31 03 2009

Olhar para uma pessoa e gostar dela mexe mais com a gente do que qualquer outra coisa.

Paixão parece ser a melhor sensação que pode acontecer neste mundo. Aqueles sonhos que começam a aparecer diante dos olhos, estar do lado dele, sentir seu braço sobre os ombros, ou estar diante dela, olhar seu rosto, nos olhos, e sentir uma emoção muito gostosa…

Mas essas emoções podem levar situações de raiva, desespero e talvez ódio. Tais sentimentos estão envolvidos numa série de perguntas e problemas. Estar apaixonado pode trazer muita felicidade e também dúvidas e confusões, como: “falo com ela?”, “Digo para ele tudo o que sinto?”, “E se eu falar isso e levar um fora?”. Muitas outras questões e duvidas podem surgir. Essa situação é a que, mais produz ansiedade em você.

Algo muito comum entre duas pessoas que se gostam é a diferença de pensamentos, interesses que um tem pelo outro. Geralmente ele se preocupa mais com o lado físico, a beleza externa, enquanto ela está mais ligada ao emocional, aos sentimentos envolvidos. Essas pequenas coisas podem trazer algumas frustrações, principalmente pelo conflito de interesses.

Como resolver o problema? A melhor maneira é conversar, dialogar, dizer o que pensa ou sente. Quem faz isso, valoriza seus pensamentos, sentimentos e a si próprio. Aí vai perceber logo se vale a pena continuar sentindo o mesmo pela outra pessoa, se ele ou ela está interessado em entende-lo – talvez isso fará os dois se aproximarem mais ainda, se forem sinceros nos sentimentos e diálogos. Mas se um dos lados não se interessa com o que é importante para o outro, é sinal de que não há nada profundo nessa relação.

DICAS PARA VOCÊ SE DAR BEM COM SEUS SENTIMENTOS E EMOÇOES:

§ Não faça com os sentimentos dos outros o que não gostaria que fizessem com os seus.

§ Não use alguém para satisfazer suas vontades. Com certeza, você não gostaria de ser usado.

§ Respeite a vontade do outro. Assim você mostra que respeita sua própria vontade.

§ Não conte o que aconteceu entre vocês dois para todo o mundo. Se você precisa controlar é porque não tem certeza do que fazer.

§ Reconheça que cada um tem o direito de pensar e agir de forma diferente de você – e isso deve ser respeitado.

§ Cuide para não fazer algo de que se arrependa mais tarde, e não possa voltar atrás.

§ Lembre-se de que, quando está longe dos pais a responsabilidade de seus atos é sua.

Se for bem estruturado, o amor é lindo.

Curta essa emoção, que é muito gostosa.

Marenos Schmidt – psicólogo








%d blogueiros gostam disto: